Resenha - Sally Slick and the Miniature Menace

Após os eventos de Sally Slick and the Steel Syndicate, Sally Slick pensou que tudo seria diferente e que ela conseguiria se enxergar como a heroína que ela sente que é. Mas para o valentão da região, Eugene Falks, ela não passa de uma garota, o que quer dizer que ela deveria ser como Bitsy Mulhoneys, Maise e outras meninas da Vila de Nebraska Township, que são as típicas menininhas que ficam cuidando da aparência, o oposto total de Sally.

E o que mais a magoa é que essa visão é compartilhada por seu Pai, e isso a deixa ainda pior, já que foi ela quem salvou seu irmão e sua família do Sindicato de Aço, e no fim das contas é ela quem conserta tudo em casa.

E os acontecimentos na feira local durante a corrida de tratores que ela não pode participar que a deixou ainda mais chateada e emotiva, e encheu seu coração de dúvidas.

É quando a estranha Mestra de Picadeiro Clara Belle do Circo Europa aparece e acaba colocando de certa forma Sally e o seu companheiro de aventuras, o garoto magricela, tagarela e excessivamente confiante Jackson “Jet” Black, de volta no caminho da aventura, ao ver a performance de Sally com o seu trator de corrida mais rápido que alguns carros de corrida, Calamity.

Mas o modo como as pessoas vêem as coisas no local a deixa frustrada, fazendo com que Sally fique pensando se na realidade não é ela que está errada em querer mais do que lhe cabe “como uma garota”. Que na realidade talvez ela seja mais afeita à casa e aos cuidados domésticos, e não à mecânica e às aventuras.

Mas ela não tem tempo de pensar nisso, já que seu maior orgulho na vida, Calamity, foi roubada!

Ela simplesmente não pode deixar isso barato, não importa o que aconteça no futuro, portanto ela e Jet estão de volta ao caminho da aventura, e fugir de cada durante a madrugada é apenas o começo. A suposição que Sally fez guia suas ações: aquela Belle do Circo Europa foi quem roubou a Calamity, ela tem certeza. Ela e Jet procuram o circo para questioná-la sobre Calamity.

Quando eles chegam à estação de trem, eles encontram um garoto que está trabalhando para o Circo Europa, e passam a conversar com mesmo. Embora ele apenas imagine que os dois queiram fugir com o circo como ele fez. É quando esse garoto é capturado por um homem vestido em roupas escuras, com um capuz ocultando-lhe a face, como um daqueles bandidos dos velhos livros pulp (gente, isso aqui é um pulp, ok? Vamos dançar conforme a música!) falando sobre um objeto misterioso com um nome estranho. E esse vilão sabe sobre o garoto, já que ele revela o nome do mesmo, Mack Silver (outro nome familiar do Espírito do Século e da trilogia Dinocalypse. E eles também acabam com isso aprendendo uma regra sobre as aventuras: aventuras sempre levam a problemas. Mas eles conseguem lidar com o vilão sem muito problema, salvando Mack Silver com a ajuda de uma senhora que chamou os Condestáveis. E é assim que o dueto torna-se um trio (por assim dizer).

Quando eles chegam ao circo, eles encontram uma pessoa que será importante no futuro de certa forma: o frágil e doente leitor da sorte Jared Brain, um garoto mirrado que não consegue sair direito de sua cadeira e assuta tanto aqueles que procuram seu serviço que o circo o impede de fazer tal coisa.

A trama fica mais complicada quando Sally percebe que os vilões não decidiram de sequestrar Mack Silver, tanto que tentam o levar inconsciente durante a noite usando um dos aeroplanos dos pilotos audazes. Ela e Jet salvam Mack, mas não sem consequências, ao derrubarem o mesmo…

Nesse momento Sally, Jet e Mack preparam uma armadilha para obter algumas respostas dos bandidos. E Sally mostra seu Bastão de Choque, um dipositivo similar a taser que derruba o bandido, que se identifica como integrante de uma ordem mística estranha, um Discípulo dos Olhos que Tudo Vêem, que procura o Olho de Enki para o manter longe daqueles que possam usar o mesmo para seus fins egoístas. O mesmo também acredita que o Olho já teria corrompido Mack, já que ao fugir da gaiola dourada que ele chamava de casa, Mack sem querer pegou o Olho de Enki em meio a outras coisas úteis.

É quando as coisas desgringolam: quando procura Jet para voltar para casa, Sally não o encontra! Agora ela precisa o encontrar e ela recorre a uma pessoa que pode o ajudar: o frágil vidente Jared Brain.

Jared Brain pode ajudá-la, mas ele está tão fraco que não pode abandonar seu leito. Para ajudar Jared, Sally constrói, com a ajuda de Mack, uma cadeira de rodas, de tal forma que Jared possa ser empurrado enquanto tenta localizar Jet, apesar das suspeitas de Mack e Sally… Que apenas aumentam quando Jared faz seus passes dramáticos, fechando os olhos enquanto lhes oferece indicações de onde Jet está, indo até o teatro das marionetes, onde normalmente encontrariam o velho, careca e bondoso senhor Heinrich.

Entretanto, nesse momento um dos elefantes do circo, Petit, desembestou furioso contra eles e contra o chuck wagon, o local onde os artistas e trabalhadores do circo almoçam e jantam! Mack, Sally e Jared conseguem impedir que o elefante destrua tudo, e descobrem que alguma coisa o assustou, talvez um rato ou algo similar, já que encontram algumas pegadas pequenininhas na jaula de Petit, e Sally ajuda construiindo e armando uma armadilha para pegar o que quer que seja.

Mas, ao invés de pegarem um rato, Sally captura um Jet Black versão miniatura. E isso torna as coisas mais estranhas. E elas ficam ainda piores quando Jet afirma que Heinrich tem o Olho de Enki, e eles não tem mais Jared Brain para os ajudar a localizar Heinrich por meio de seus auto-proclamados poderes mentais.

Eles decidem, entretanto, que precisam achar Heinrich primeiro, já que ele está com o Olho, e se não acharem o Olho eles terão um Jet Black em tamanho de boneca para sempre. Mack os ajuda, já que sabe pilotar um aeroplano (ao menos na teoria).

Mas isso quer dizer que Sally terá que enfrentar seus temores, incluindo o de voar. Porém, não o fazer seria dizer que seu Pai está certo e que ela é apenas uma garotinha que pertence ao lar e aos afazeres domésticos. Ao encarar de frente seus temores, entretanto, ela prova que sua Mãe é que estava certa, e que ela é destinada a feitos maiores que cuidar de casas em Nebraska Township. E isso também é coragem: fazer o que necessário, mesmo diante de seus medos.

Eles não encontram Heinrich, mas um acampamento dos Discípulos, que capturaram Heinrich. O titeriteiro está destroçado de medo, já que quando ele encolheu Jet ele imaginava ter o matado. Eles descobrem que Heinrich estava aproveitando as paradas do Circo Europa para roubar artefatos mágicos que o Circo estaria mandando para os nazistas (ou foi o que lhe disseram). Mas ele decide ajudar Sally e seus amigos, ao incinar aos Discípulos como usar o Olho para devolver Jet ao seu tamanho natural. E é quando Heinrich revela o nome de seu contratante, alguém que Sally e Jet conhecem muito bem: Doktor Proktor, chefe do irmão de Sally, e um dos responsável por todos os problemas em que Sally e Jet se meteram, em Sally Slick and the Steel Syndicate

Nesse momento, Jared revela-se junto com a Irmã Waleria (que foi o sequestrador que Sally capturou), que o introduz como alguém com habilidades psíquicas para encontrar coisas mágicas. Eles precisam encontrar Doktor Proktor, e para isso procuram recorrer às habilidades de clarividência de Jared, que demanda poder tocar o Olho de Enki no processo. Mesmo sob as suspeitas da Irmã Waleria, Jared afirma que o Olho pode amplificar seus poderes…

E Jared usa o Olho por tanto tempo que as pessoas começam a ficar entediadas e começam a discutir umas com as outras, até que elas percebem que os artefatos foram roubados… O que leva a mais discução até que eles percebem o que estão fazendo: ao gritar uns com os outros de maneira sem sentido, eles não lembraram-se de alguém…

Jared Brain! Agora, um poderoso e maligno artefato está nas mãos de um garoto capaz de o controlar. E o usou para ocultar seus rastros, de algum modo.

E, quando eles procuram Jared, eles descobrirão o que o mesmo queria com o Olho de Enki, e os resultados agridoce dessa aventura irão impactá-los no futuro, para o bem e para o mal.


Esse livro é um tanto sobre dúvida: sobre as dúvidas de Sally quanto aos seus talentos e objetivos, as dúvidas de Jet sobre sí próprio, e assim por diante. E também é sobre coragem, sobre pessoas que assumem posturas quanto ao que acreditam (para o bem e para o mal).

Também é um livro sobre lidar com adversidades: Sally precisa lidar com o fato que ela é (usando termos do século 21) uma garota moleca de uma vilazinha do interior onde as pessoas pensam em garotas como bonequinha fofinhas e cheias dos não-me-toque. Jet precisa lidar com sua impulsividade, que o coloca em encrencas onde qualquer outra pessoa iria se render, recuar ou se esconder. Mack precisa lidar com coisas que ele não precisava lidar quando estava a gaiola dourada de sua família. Jared precisa lidar com o seu corpo frágil que segura sua mente poderosa, e assim por diante.

E também é um livro sobre as consequências dos desejos, e sobre como mesmo boas pessoas podem fazer coisas ruins, como Heinrich fez. O mal possui formas de fazer pessoas boas fazerem seus planos nefastos, como Heinrich fez ao roubar artefatos para Doktor Proktor, dando-lhe poderes perigosos enquanto acreditava fazer algo bom.

Esse livro também nos mostra de certa forma o futuro de Sally, Jet e Mack, e como ele se revela diante deles, já que eles vão fazendo amigos e inimigos, e sobre a importância deles e do que eles fazem, já que eles não fazem as coisas que as pessoas querem ou acreditam que eles farão, mas sim o fazem o que acreditam ser certo.

Miniature Menace é uma fantástica continuação para Steel Syndicate, e aqui os vemos crescer mais um pouco e com isso se aproximarem de seu ideal Heróico, já que eles sofrem e com isso aprendem sobre consequências, medo e coragem.

Os tropos do pulp se fazem presentes, e Sally e Jet são tão incríveis como quando os deixamos no final de Steel Syndicate. Sally ainda uma moleca louca por maquinários que precisa lidar com valentões, e Jet ainda o magricela com uma língua afiada e a capacidade de dizer as piores coisas nos piores momentos, e apesar disso ainda sendo o tipo de cara do copo meio cheio.

E os novos personagens também são sensacionais: Jared Brain, o garoto com poderes psíquico enormes em um corpo frágil; Nadya e Rosaliya, as garotas espalhafatosas que apoiam Sally em seu baixoa astral após o sumiço de Jet; Heinrich, o senhor de bom coração que faz algo ruim ao roubar artefatos; e Clara Belle, a Mestra de Cerimônia do Circo Europa com poderes secretos de clarividência.

E claro, temos Mack Silver, outro nome que as pessoas que já leram qualquer coisa de Espírito do Século deve conhecer: um garoto bonito, com um desejo pelos ares e pela liberdade que o levou a fugir da gaiola dourada onde sua família o mantinha e procurar refúgio junto ao Circo Europa. Aqui, ele começa a fazer algo que viria a ser uma marca registrada e um modo de vida: voar em um aeroplano.

Também vemos um de seus primeiros e mais poderosos inimigos surgindo, um inimigo que controla poderes além da Ciência, e, para desgosto enorme de Sally, alguém que ela ajudou a alcançar seus objetivos sem perceber.

O texto é claro e fluído como o do primeiro livro, Steel Syndicate. Existe alguns problemas no cruzamento das tramas, mas nada que possa realmente comprometer o texto. Os personagens são interessantes, e os riscos são tão grandes quando o pulp exige. As ameaças estão por todos os cantos e podemos ver os personagens fazendo o que podem e lidando com as consequências de suas ações.

Esse livro é recomendável para quem gosta do estilo pulp, para quem gosta do cenário do Espírito do Século, ou para quem aprecia história de ação com emoções intensas e texto leve e divertido. Eu o considero um livro 4 entre 5 estrelas, já que existem alguns detalhes que tornam a história um pouco mais lenta que a de Steel Syndicate, mas isso pode ser derivado da famosa maldição do segundo livro que afeta mesmo as melhores séries. E esses detalhes não tornam o livro menos interessante, divertido e bem ritmado.


ATENÇÃO: Recebi cópias de Sally Slick and the Steel Syndicate, Young Centurions e do futuro livro da Série Young Centurions Sally Slick and the Miniature Menace, da Evil Hat para essa resenha. Essa resenha representa minha visão do mesmo e pode não ser totalmente acurado.

Review - Sally Slick and the Miniature Menace

After the events in Sally Slick and the Steel Syndicate, Sally Slick thought things would be different. That she would be seen as the hero herself feels she is.

But for the local bully she still was just a girl, which means she should be like the Bitsy Mulhoneys and Maises from the Nebraska Township. The hair spinners and so. The total anti-Sally. And there was not Eugene Falks’ vision, but Pa Slick also has this opinion, which hurts her even more, because she was the one who saved his brother and family’s life against the Steel Syndicate, and also she was the one who fixes everything in home.

And the events in the tractor racing and local fair made her even more distressed and overemotional, as she puts herself in doubt.

It was the weird Ringmaster Clara Belle from Circus Europa that someway put Sally and his sidekick pal, the scrawny, tongue-in-cheek, naively overconfident Jet Black, back into adventure’s path, after seeing Sally’s performance with the now upgraded Calamity, a tractor faster than a race-car.

But the local mindset made her frustrated, making her thinking if she was not the wrong one to want more that it was worth for her station as a girl. That she belonged to home and family care, not to mechanics and adventuring.

But she had no time to think on this, because Calamity, her biggest pride and joy, was stolen!

She could not just left this behind, so she and Jet Black now are back into the adventure path, and getting away home during the night was only the beginning. The clue she has and guides her actions: the Belle woman from Circus Europa had stole Calamity, she was sure. She and Jet got to the circus to inquire her about Calamity.

When they get into the train station, they found a kid working for Circus Europa, and they engage into some talk with him. Although he thinks that they want to run away with the circus like he did. It was when this weird kid was took by a man in black, with a hood over his face, like the old-time bandits from pulp (hey, we are in a pulp, right? Let things go by the book!) talking about a mysterious thing with a weird name. And the goon knows about the kid, as he gives his name, Mack Silver, another known name for those that read Spirit of the Century and Dinocalypse Trilogy. And they also on this learned a rule about adventure: adventure leads to trouble. But they dealt with the goon without so much problem, and freed Mack Silver, with the help of a lady that called for the constables. And so the duo came to a trio (somewhat).

And going to the circus, she find a person that someone will be important in the future: the always sick and fragile fortune-teller Jared Brain, a meek kid that stays into their own chair his and frightens with his fortune telling so much that the circus don’t let him do them.

The plot thickens when she discovers that Mack Silver is still under the kidnappers target, and they try even to knock him out during the sleep and try to get out the circus via one of the barnstormers’ airplanes. She and Jet rescue Mack, but not without consequences, as they crashed the plane…

And Sally, Jet and Mack prepare a trap to the goons for some responses. And Sally also shown her Shock stick, a taser-like device that she used to knock the kidnapper out. They are from a weird mystical order, The Disciple of the All-Seeing Eyes, that wanted to take the Eye of Enki for his then from those who would use it for selfish means. They also believed Mack was already corrupted by the Eye. Mack had it into possession because, when he ran away from his golden cage of home, he took some things, and with them the Eye of Enki, unknowingly.

It was then that the adventure rolls down: when searching for Jet to go home, Sally didn’t found him! Now she need to find him, and she recurs for the one that could help her : the meek fortune-teller Jared Brain.

Jared Brain can help to locate, but he’s so sick he can’t get out of his cot. To help Jared, Sally build, with Mack’s help, a wheeling chair, so Jared could be pushed around to help to locate Jet, besides Mack and Sally distrust on him, that only grows when Jared do his dramatic mumbo-jumbo to close his eyes while giving them indications on where Jet is, going into the puppet theater, normally where they could find the bald, old, kind-hearted Heinrich.

But in fact, one of the circus elephant, Petit, had ran rampant against them and against the chuck wagon, where circus performers and crew takes their meals. Mack, Sally and Jared are able to stop the elephant menace, and they discovered that something scared Petit, maybe a small animal, like a mouse or so. They found some little prints in Petit’s cage, and Sally creates and sets a trap to catch this thing.

But instead of catching a mouse, Sally catches a miniaturized Jet Black. This turn things even more weirder.

And got even more weirder when Jet says Heinrich has the Eye of Enki. And there’s no Jared Brain to help them to get Heinrich by using his so-called mental powers.

But they chose to get to Heinrich first, as he has the Eye, and no Eye means a doll small Jet Black.

This also would mean stand against her fears and discomforts, including the one of flying. But not doing this was saying his Pa was right and she was just a girl and belong to home. But, by stands against her discomforts, she was also proving her Ma was right and she was someone fated for bigger things than take care of homes at Nebraska Township.

This was also courage: keeping doing what is needed, even in the face of your fears.

They find not Heinrich, but a camp from the Disciples, that had caught Heinrich. The puppet-master is wretched in fear.The little man was totally in fear, because when he shrunk Jet, he thought he killed him. They also discovered he was working to steal magical artifact that could be smuggled by Circus Europa for the Nazi (or so it was told to him). But he chose to help Sally and his friends, and thought the Disciple on how to use the Eyes to bring Jet back his size.

It was then Heinrich reveal the name of his contractor. One that Sally and Jack knows very well. Doktor Proktor, his brother’s boss and the one that was in the kernel of the mess Sally and Jet was on before, in Sally Slick and the Steel Syndicate

Then Jared shows himself after Sister Waleria introduce him as a new psychic, with powers to detect magic things. They want him to find Doktor Proktor via their scrying powers, but he asks to touch the Eye to find him. Even under the suspicious look of Sister Waleria, Jared said his plan for using the Eye as a booster for his powers…

And Jared worked on it for so long that people started to get bored and start to talk against each other. And they noted that the artifacts were stolen… And even more arguments, until they not what they are doing: by useless shouting and yelling and arguing, they didn’t thought on someone…

Jared Brain! A powerful, evil artifact with a kid who was strong enough to control it. And that used it to hide his tracks while running away, somehow.

And, by trying to find Jared, they discover why Jared wants to use the Eye of Enki, and the bittersweet results will impact them in the future, for the good and the ill.


This book is a little about doubt: about Sally having doubt on her talents and objectives, Jet being in doubt about himself, and so. At the same time, is about courage, by people standing by what they believe (for the good and the ill).

Also, this is about how everyone deal with their hindrances: Sally need to deal with the fact she’s a (using 21nd century terms) tomboy girl from a backwater township where people think on girls as little dollies that flutter all around and are all cute and so. Jet still needs to deal with his impulsiveness, that put him into danger into situations that everyone else (except, maybe, people like himself) would hide, run away, or retreat. Mack need to deal now with the challenges he need not when he was into the golden cage of this family. Jared needs to deal with the frail body that holds his powerful mind, and so.

And is also about the consequences of desire, and how maybe even good people can be used to do bad things, like Heinrich did. The evil has the way to make good people do their nefarious jobs, like Heinrich did, to steal artifacts for Doktor Proktor, filling him with dangerous powers while believing he was doing a good thing.

This books also show us somewhat the future and how Sally, Jet and Mack now can see it unveiling beyond them, as they make enemies and new friends, and about the importance of them and the things they can do, because they don’t do things as people wants or believes they’ll do, but because they do the right things.

Miniature Menace is a great continue for Steel Syndicate, and there we can see the kids growing a little more and getting even nearer their Hero ideal, as they suffers and with this learn about consequences, fear, and courage.

The pulp tropes are still there. And Jet and Sally are as incredible as we left them in the end of Steel Syndicate. Sally still is a engine-head tomboy who needs to deal with all the bullies, Jet still is the scrawny kid with a bard’s tongue and tongue in cheek, and the half-full bottle kind of overoptimistic guys.

The new characters are also incredible: we have Jared Brain, the powerful psychic kid with a feeble body; Nadya and Rosaliya, the flamboyant girls that supports Sally in their bad mood time after Jet’s disappearance; Heinrich, the kind-hearted guy that do a bad job by stealing artifacts; and Clara Belle, the Ringmaster of Circus Europa with secret scrying powers.

And obviously, we have Mack Silver, another name that people who read anything from Spirit of the Century maybe already heard about. We see the eye-candy kid, with a desire for the air and for freedom that ran away from his golden cage of family and took refuge at Circus Europa. Here, we see him doing a thing that would be a trademark and a way of life: flying with an airplane.

We also see them making one of their first and most powerful enemies, an enemy that control powers beyond the Science, and, for most Sally distraught, one she unwittingly helped.

The text is as light and fluid than the first one. There’s some criss-crossing in the plots, but nothing that could compromise the text. The characters are funny, and the stakes as high as pulp demands. The thrill is all around and we can see the characters doing what they can do and dealing with consequences.

The book is a good reading for everyone who likes pulp, the Spirit of the Century setting, or a light-hearted, funny, and high-staked action story. I could put it at 4 in 5 stars. There’s some details that turns the story a little slower than Steel Syndicate, but this can be the famous second book curse that somewhat hits even the best books into series. And those details don’t make the book less fulfilling, fun and good paced.


DISCLAIMER: I’ve received copies of Sally Slick and the Steel Syndicate, Young Centurions and the upcoming Sally Slick and the Miniature Menace from Evil Hat for review. This review express my own opinions and only my own, and they can be not accurate. I would like to thank my cousin and friend Leonardo Melo, that did some corrections in the text. Thank you, Leo!

Resolvendo um Conflito não-físico - A cena final de Uma Cilada Para Roger Rabbit

Estava revisitando algumas coisas mais antigas que escrevi sobre Fate e resolvi expandir e melhorar um exemplo que o Felipe Dalmatti coletou para o Medium e que tinha divulgado previamente na comunidade do Fate Brasil.

No caso, é a cena de Uma Cilada Para Roger Rabbit onde Eddie enfrenta as Doninhas e as mata de tanto rir!

Estatísticas Importantes

Eddie Valiant

Aspectos:

Tipo Aspectos
Conceito: Detetive Particular ex-Policial
Dificuldade: “Aqueles Olhos…” - Atormentado pela morte do irmão Teddy na Desenholândia
  Sempre faço meu trabalho direito
  Meu pai e irmão (Teddy) eram Palhaços como eu era - Ringling Bros. Barnum & Bailey Circus
  Dolores é meu ombro amigo nesse momento de dor

Abordagens:

Abordagem Nível
Ágil: Bom (+3)
Cuidadoso: Regular (+1)
Esperto: Regular (+1)
Estiloso: Razoável (+2)
Poderoso: Medíocre (+0)
Sorrateiro: Razoável (+2)

Façanhas [ Recarga: 3 ]

  • Acrobacias - Como venho de uma Família de Palhaços do Ringling Bros., sou um especialista em Acrobacias, recebendo +2 ao Criar Vantagens de Maneira Ágil
  • Faro do Detetive - Como sou um Detetive Particular, uma vez por sessão posso declarar que vi a conexão entre várias pistas obtidas durante uma investigação
  • “Desenhos, sempre pego eles!” - Apesar de tudo, sei como a Lógica de Desenho funciona, portanto posso usar ela sem pagar Pontos de Destino, a -2 nos testes, durante uma Cena, uma vez por Sessão

Nota: No início de Uma Cilada para Roger Rabbit, Eddie diz o tempo todo que Não trabalha para Desenhos. Duas formas de entender isso: Dificuldade Forçada (indicando que ele está tão traumatizado com a morte do irmão que não quer se envolver mais com desenhos) ou uma Conseqüencia Mental Moderada Não trabalha para Desenhos. Como fazem em torno de cinco anos que o irmão dele morreu, ele pode recuperar-se dessa Conseqüencia durante os eventos do filme

Patrulha de Desenhos (Toon Patrol)

  • Doninhas de desenho animado; Não são tão espertas assim; Sádicas; Patrono: Juiz Doom; Acham tudo engraçado
    • Peritas (+2) em: Intimidar outras pessoas, seguirem ordens, terem idéias sádicas
    • Ruins (-2) em: Resistir às risadas!
    • Estresse:
      • 2 (Quatro Doninhas)
      • 4 (Esperta - Smart Guy)

Aspectos em Jogo

  • O CALDO!!!!!
  • A Desenholândia está para ser destruída
  • “Vocês vão acabar morrendo de tanto rir!”
  • O depósito da ACME - muitas coisas engraçadas

A cena no cinema

Achei apenas em inglês, infelizmente

A cena em jogo

Tudo começa quando o Juiz Doom, após escorregar de maneira cômica em algumas bolinhas de golfe que estão em cena, percebe que a Patrulha dos Desenhos está rindo dele e reafirma um dos Aspectos em jogo. ao dizer: “Vocês vão acabar morrendo de tanto rir!”. Isso pode ter vindo de algum Aspecto que Eddie tenha previamente descoberto. Quando ele se afasta, algumas das doninhas se focam em acabar com Roger e Jessica Rabbit, presos com uma Corda a Prova de Desenhos, o que impede que eles utilizem a Lógica de Desenho para fazer coisas absurdas, como escapar da mesma (como Roger fez em cenas anteriores). Já a Doninha Esperta (Smart Guy em inglês), mantem Eddie Sob Ameaça de uma Arma de Fogo…

Eddie decide se aproveitar do Aspecto em jogo para minar a resistência das Doninhas, antes de tentar salvar Roger, Jessica e a Desenholândia da destruição definitiva pelo CALDO!!!!. Para isso, ele resolve pagar um Ponto de Destino para invocar o fato de ter Muitas Coisas Engraçadas e mandar uma música bem boba, “O Carrossel se quebrou” (“The Merry-Go-Round Broke Down”). Ao fazer isso, ele consegue a chance de usar isso contra as Doninhas, as desestabilizando.

Primeiramente, ele decide usar uma ação de Superar para eliminar a Ameaça da Doninha Esperta de jogo. Embora estejam seguindo ordens (no que são peritas), elas são Ruins ao Resistir a Risadas! (-2), então a Doninha Esperta rola a +0. Como Eddie está tentando se dar bem de maneira muito engraçada, ele recorre à sua Abordagem Estilosa (+2). Com um +-++ para um resultado Bom (+3), e a Doninha esperta conseguindo apenas um +-++ para um resultado Regular (+1) por parte da Doninha, ele consegue sucesso e a Doninha Esperta tá dando tanta risada que ele já não tem precisa se preocupar de estar Sob Ameaça.

Em seguida, usando o fato de “Meu pai e irmão (Teddy) eram Palhaços como eu era”, ele vê uns pesos que ele pode usar como forma de conseguir Atacar essas Doninhas na base da risada. Mas antes, ele tenta Criar uma Vantagem usando umas bolas e umas rimas bobas, recorrendo à sua Façanha de Acrobacias. Como Roger e Jessica não podem atacar devido à Corda a Prova de Desenhos, eles não podem ajudar diretamente.

Ao tentar criar sua Vantagem, Eddie não é tão bem no rolamento: 0--0. A única vantagem é que ele está usando a Façanha Acrobacias, o que permite a dificuldade de Defesa das Doninhas ainda seja bem alta para defender-se, precisando de um Bom (+3). Elas conseguem se defender em cima, com um ótimo resultado ++++. Mesmo considerando que elas estão a +0, elas conseguem se Defender da ação de Criar Vantagem. Ele está com problemas no tempo de comédia mas então é quando Jessica aparece e oferece uma rima para uma trovinha boba que ele estava elaborando, dando um bônus de Trabalho em Equipe para Eddie que lhe garante ao menos um Impulso Ele parece bem engraçado.

Porém, Eddie utiliza um Ponto de Destino para Forças o Aspecto das Doninhas de que Elas acham tudo Engraçado, minando a possibilidade delas Atacarem. O Narrador acha interessante, devido ao que está acontecendo, mas autoriza apenas para esse turno: Eddie tem que conseguir bons resultados para proteger todos no próximo turno… Ou tudo que vai restar de Roger e Jessica é uma potencial poça de caldo.

Eddie parte para o “Ataque”, com mais malabarismos bizarros, escorregões em cascas de banana e tudo mais, até mesmo metendo a cabeça na luminária em 110volts! Ele consegue um ótimo Ataque bem engraçado e Estiloso de +4 inicial, contando o Impulso que todos conseguiram, e rolando um ++00 para +6 (Fantástico), o que garante que as doninhas normais são todas derrotadas, após elas falharem na sua defesa com 0-0+, e coloca duas caixas de estresse marcadas na Doninha Esperta (para aumentar a agilidade do jogo, o Narrador colocou as doninhas todas como um grupo nesse momento). Entretanto, o Narrador coloca uma situação em cena: quando uma das doninhas “morreu”, virando um fantasma, seu corpo caiu em um quantidade de bolas próximas que criaram uma Máquina de Goldberg que pode ser usada como um complicador em cena, já que está vindo um belo de um vaso para cair diretamente na cabeça de Eddie!

Nessa hora, é Roger quem chama a atenção: usando um Ponto de Destino, Roger descreve narrativamente o que acontece. Quando novamente Eddie está para “Atacar” com piadas a Doninha Esperta (a única em jogo no momento), e ele diz “Eu tenho o meu taco e pulo que nem macaco/Mas se você não abaixa a arma todo mundo se abala/E eu lhe chuto no meio do…“, o vaso cai na cabeça de Eddie. Nessa hora, como um Desenho Second Banana1, Roger Invoca esse Aspecto e complementa a rima com uma Piada Péssima: “NARIZ!”

E a questão é que isso leva a Doninha a Baixar a Guarda, ao questionar que “Nariz não rima com macaco!”

Exatamente no momento em que, aproveitando que a Doninha está com a Guarda Baixa, Eddie usa seu Sorrateiro para mandar na Doninha um Ataque exatamente onde rima com macaco, e com um excelente ++++, para um Ataque Epíco (+7). Mesmo com uma defesa de +++0 que lhe fornece um Bom (+3), ainda assim ele precisa absorver 4 Tensões de Estresse. Como ela só tem duas caixas de Estresse, ela acaba sendo Derrotada de maneira ainda pior que a de seus pares, pois o chute de Eddie onde rima com macaco mandou ela diretamente para uma Zona fora da de combate… E direto para dentro do grande caldeirão cheio de Caldo que o Juiz Doom pretende despejar na Desenholândia assim que Roger e Jessica e Eddie estiverem mortos…

Entretanto, a coisa ainda não terminou, por dois motivos:

  1. O Juiz Doom ainda está ali e terá um combate bem sério com Eddie, com momentos reveladores que irão perturbar nosso Detetive e;
  2. A doninha mais louca do grupo, antes de “partir dessa para melhor”, ativou o Jato de Caldo e o está jogando contra Roger e Jessica! Se falharem em um único teste de Defesa Regular (+1), existe uma bela chance de eles irem fazer companhia à Doninha Esperta e serem obliterados pelo Caldo!

Cabe a nosso valente herói impedir que Doom transforme a Desenholândia em uma Auto-Estrada, cheia de outdoors e postos com comida barata!


  1. Second Banana é um termo que é utilizado para comediantes que servem ou estão em uma situação para serem usados de “escada” ou “muleta” para outros comediantes em uma cena. O termo é especialmente popular em comédias burlescas e no vaudeville. Em geral, é a parte que “recebe” a piada, em termos de “castigo” físico ou humiliatório. Deriva da estrutura do humor clownesco europeu entre o Branco (palhaço mais sério e quase poético, mas com rompantes de agressividade) e o Augusto (palhaço bobo e bonachão, mas que quase sempre coloca o Branco em complicações de uma maneira ou de outra). (Referência: Wiktionary

Saiba Mais (1653 palavras...)