Thomas Crowley, Investigador do Absurdo

Nascido em uma família de pessoas envolvidas desde a Era Vitoriana (?!) na investigação dos Criptídios e de eventos do sobrenatural, incluindo magia e outras coisas ocultas, Thomas acabou sendo desde sempre o garoto esquisito, já que por algum motivo seus pais sempre demandaram que ele estudasse, além das matérias comuns, coisas como Ocultismo, Cabala, Tarô e Magia Hermética.

Isso foi até que um evento mexeu com Thomas:

Seus pais e ele estavam em um ritual místico padrão, de primavera, até que uma criatura abissal apareceu diante deles, soltando fogo e enxofre. No caos do bosque pegando fogo, seus pais foram gravemente feridos.

Ele decidiu investigar o que se tratava e começou a se envolver com Magias mais perigosas para descobrir que entidade havia feito aquilo: como seus pais tinham falhado no ritual?

A descoberta foi a pior possível.

Era um picareta tentando tomar o bosque para um projeto imobiliário, se passando por um demônio ao estilo de Chernabog de Fantasia! Usando uma espécie de Jetpack e produtos químicos, ele estava simulando ser um grande vilão.

Ele então decidiu: se esse cara estava afim de brincar nesse nível, ele ia cair no jogo! Usando suas técnicas mágicas ilusórias (na prática o uso de certas ervas e preparados) ele fez com que o cara ficasse quase louco, até que um time da Weird World News UK revelou toda a trapaça e mandou o picareta para a cadeia.

Mas seus pais estavam feridos, e tudo levava ele para ir para o Reformatório. Ele perguntou se não tinha como participar do grupo. Eles aceitaram-o como um Estagiário, investigando informações em fontes de ocultismo para saber separar o joio do trigo.

Cheio de tatuagens e com uma aparência meio gótica, mesmo quando está quente usa roupas pseudo vitorianas, quase como um figurante de Entrevista com o Vampiro, o que leva aqueles que nunca o viram a o achar estranho e até mesmo perigoso. Entretanto, quem o conhece bem sabe que tudo isso é fachada: mesmo suas “magias” são muito mais mentalismo, conhecimentos de ervas e similares do que magias de verdade.

Particularmente, ele não se entende bem com Seamus, que acha um pobre coitado de mente pequena, e nem com Harold, que acha um almofadinha empolado, mas ele sempre trabalha em equipe, mesmo com os arranca rabo. Sempre possui consigo um amuleto que ele próprio construiu, com prata e carvalho, com símbolos de magia hermética e druídica, além de trazer símbolos de cabala. Ele acredita que esse símbolo lhe proteja nas piores situações.

Aspectos

Tipo Aspectos
Conceito Mago do Caos Auto-Proclamado
Dificuldade Trevoso apenas para quem não o conhece
Motivação Descobrir os mistérios herméticos dos Criptídios

Atitudes

Correr! Enganar! Enredar! Investigar!
Regular (+1) Razoável (+2) Bom (+3) Regular (+1)

Façanhas (Recarga: 3)

  • Meu Amuleto – Sempre que usar um Aspecto para bônus de +2, você recebe +3 no lugar, desde que seja capaz de descrever como esse item especial o beneficia
  • Biblioteca Hermética – +2 ao Criar Vantagems por Investigar! para obter pistas envolvendo criptídios, criaturas e eventos sobrenaturais

Condições

Valor Condição
1 Invocação das Profundezas
1 Olhar Assustador
2 Procurando as Linhas de Ley
2 Iä! Iä! Cthulhu Fthaghn!

Taabish ‘Taylor’ Mehndi, Filósofo e Músico Bhangra

Nascido na Inglaterra como parte da Diáspora Indiana, Taabish Mehndi sempre foi um homem de dois mundos: por um lado, seus pais o mandaram para uma boa escola pública, onde aprendeu muito e bem o conhecimento secular ocidental. Por outro, em casa e no templo Sikh que seus pais frequentavam, teve contato com religião e, acima de tudo, filosofias espirituais orientais, mais exatamente da Índia.

Em meio a seus estudos, ele também se envolveu com Bhangra Pop, o movimento musical onde misturava-se o ritmo das músicas tradicionais Bhangra com a música eletrônica e pop dos anos 80. Para ele, sempre fez muito sentido: afinal, em sua concepção ambos os lados do mundo tinham algo bom para acrescentar. Karma derivava, em sua opinião, dos excessos de ação ou inação, de espiritualidade ou de materialismo. Dançar entre duas culturas era algo que em sua cabeça fazia de melhor, e Bhangra Pop o ajudava.

Foi quando um demônio começou a atacar os shows de sua banda, e perseguia-os até onde pudesse. Todos os componentes começaram a fugir, mas “Taylor” (o apelido dado pelos seus amigos não-Indianos) enfrentou esse demônio: aparentemente, ele desejava expulsar os que (segundo ele) conpurscavam o Bhangra. Taabish, entretanto, provou que Bhangra Pop era uma nova forma de ler as tradições, e isso não era mal.

Foi quando descobriu que o demônio, na verdade, era um dos anciões da comunidade Sikh, que achava que os jovens estavam se desviando do caminho. Tão logo o ancião, arrependido, pediu perdão e comprometeu-se a compensar os prejuízos, Taabish deixou por isso mesmo, não o denunciando diante do resto da comunidade ou à polícia. Entretanto, foi o fim de seu grupo.

Taabish acabou então se envolvendo com algumas investigações sobre criptídios, já que seus conhecimentos, incluindo o tempo que passou com o seu pai na Mehndi Computers, uma pequena loja que vendia BBC Micros, ZX Spectrums e Amstrads, lhe preencheu com ferramentas para ganhar a vida honestamente…

… Ainda que trabalhando para um tabloide sensacionalista como a Weird World News UK.

Taabish é moreno, tem barba longa e sempre usa turbante (conforme os mandamentos do sikhismo), mas nas demais roupas tende a usar roupas confortáveis e descontraídas, tanto batas indianas quanto combinações de camiseta e calças. Sempre usa pulseiras e correntes. Sempre tem algum tipo de música indiana tocando em momentos de descontração. Parece um pouco afastado, mas não julga nenhum dos demais membros do grupo da Weird World News UK do qual faz parte.

Aspectos

Tipo Aspectos
Conceito Estudioso, Músico e Filósofo Sikh
Dificuldade Ocidente e Oriente, Materialismo e Espiritualidade
Motivação Descobrir novas verdades e enterrar velhas mentiras

Atitudes

Correr! Enganar! Enredar! Investigar!
Razoável (+2) Bom (+3) Regular (+1) Regular (+1)

Façanhas (Recarga: 3)

  • Bhangra, Ritmo da Vida – +2 para Defender-se durante a Perseguição, desde que naquele turno algum aliado tenha sido bem-sucedido antes.
  • Disfarce rápidouma vez por cena você pode declarar que você automaticamente se disfarçou, desde que ninguém esteja o observando

Condições

Valor Condição
1 Que coisa estranha!
1 Ah, fala sério!
2 Hora de dar no pé!
2 Reza… Reza… Reza…

Seamus ‘Senile Sean’ O’Malley, o Anarquista

Seamus O’Malley, o “Senile Sean” (Sean Maluco) é uma lenda viva: ao 14 anos se envolveu no circuito do Punk Rock na Irlanda e Irlanda do Norte como roadie, e até mesmo entrou para uma banda de punk rock, os Rotten Roots, vivendo basicamente em noites de bebida, droga, rock’n’roll, filosofia Anarquista e ocasional magia.

Isso até quando tudo deu errado.

Algum jênio com J teve a ideia de fazer uns rituais que viu em um livro de São Cipriano por diversão e para tentar conseguir elevar a banda ao estrelato.

Péssima ideia.

Quando o tal demônio apareceu, eles tiveram que enfrentar o mesmo, que estava enfurecido. Além disso, o círculo de proteção que eles tinham feito falhou. Seamus ainda deu sorte que tinha uma adaga de prata com ele, e ele conseguiu golpear o demônio o bastante para ele se mandar.

Mas nisso o guitarrista estava morto, provavelmente sua alma arrastada pelo demônio.

Depois disso, a banda se desfez e ele acabou meio sem grana, mas um amigo apareceu com uma proposta de emprego. Coisa bem básica e que dava pouca grana, mas que para um ferrado como Seamus na época, parecia legal.

Dois dias depois Seamus pegou sua primeira van da Weird World News UK, e ficou amarradão: cada coisa mais doida que a outra e um ocasional criptídio. Anarquia, cara!

Isso até que, muitos anos depois, junto com a atual equipe, eles encontraram um vilarejo de Leprechauns próximo à fronteira entre Inglaterra e Gales: nada tão comum, mas que na prática é possível. Eles descobriram que o “clurichaun”, o espírito agoureiro que assustava os fazendeiros da região vindas de um antigo castelo era um picareta safado que queria transformar tudo aquilo em um resort para golfistas.

Claro que eles levaram um amiguinho com eles: Leroy Patrick Shoemaker Goldberry McLoony, um chapa que conquistou o coração de Seamus. E aquele almofadinha do Harold ajudou bastante, diga-se de passagem.

Baixo e magrelo, Seamus sempre veste roupas que parecem (apenas parecem) como farrapos: na prática ele “artisticamente” decora suas roupas com símbolos anarquistas e as rasga em pontos específicos. Apesar da cara dura e sorriso cínico, ele não gosta de admitir que a experiência com o demônio acabou lhe deixando sequelas: ele é muito supersticioso, o que explica os trevos que Leroy faz para ele como uma forma de garantir sorte. Ele gosta de bancar o durão, em especial com Harold, mas na prática ele gosta de todos. Ele é o motorista da van, mas também é um quebra galho cheio de opções, incluindo de quando em quando pegar de volta sua guitarra para um pouco de punk rock!

Aspectos

Tipo Aspectos
Conceito Punk-Rocker da velha guarda irlandês
Dificuldade Não admite, mas é supersticioso
Motivação Anarquia!!! E manter meu chapa Leroy seguro

Atitudes

Correr! Enganar! Enredar! Investigar!
Regular (+1) Bom (+3) Razoável (+2) Regular (+1)

Façanhas (Recarga: 3)

  • Anarchy in UK! - +2 ao Criar Vantagens com Enganar! enquanto sacaneia, enerva ou zoa alguém
  • Prima Donnauma vez por sessão, você recebe um ponto de destino adicional ao ter um Aspecto seu forçado

Condições

Valor Condição
1 Bravo de Verdade
1 Quero quebrar tudo!
2 Furioso!
2 I don’t care!