Nakai - O Guerreiro tranformado em Homem Gambá

Nascido escravo, Nakai veio do distante Reino de Jade de Umdaar, vendido como escravo após seu clã nômade ser atacado e destruído por escravistas em nome de um dos Mestres de Umdaar. Já forte com a espada com apenas cinco anos, passou a ser treinado como gladiador e foi considerado um dos melhores das arenas, colocado com monstros muito maiores que ele e sobrevivendo milhares de batalhas e de monstros.

Mas em seu coração, Nakai ainda procurava liberdade. Ainda procurava vingança por seu clã. Ele fingia ser leal ao Mestre pois sabia do seu poder, mas ao mesmo tempo procurava obter fama e entrava em contato com revolucionários que tentavam derrubar o Mestre.

Com o tempo, Nakai passou a tornar-se um dos favoritos do populacho, enquanto derrotava inimigos cada vez mais poderosos. E com isso seu poder e influência cresceu.

Até que um dia, Nakai decidiu que era a hora de levantar a população contra o Mestre e tomar-lhe o poder.

Uma revolução começou e terminou tão logo quanto começou.

Pois o poder de Nakai e seus aliados nada era diante dos Artefatos e conhecimentos profanos que o Mestre detinha.

Muitos dos seus aliados morreram, assim como boa parte do povo que a eles se aliou, mortos como exemplo.

A Nakai foi reservado um destino ainda pior.

Em uma cerimônia especialmente preparada pelo Mestre, Nakai foi forçado a beber de um Cálice da Mudança, um raro Artefato que, dizem, foi criado por antigos Deuses ou pelos Demiurgos como punição. Ao beber desse cálice um preparado especial, de cheiro hediondo e sabor igualmente ruim, Nakai passou por um processo humilhante e doloroso de transformação, deixando de ser o vigoroso e poderoso guerreiro de outros tempos, sendo transformado em um Mephitum, um homem-gambá.

Ora, entre aquele populacho os homem-gambás eram vistos como saqueadores e ladrões sem honra. Some-se a isso o fato de que Nakai foi um dos líderes de uma revolução falha, e Nakai caiu em desonra. Para terminar com a humilhação, o Mestre declarou Nakai um Próscrito, alguém que podia ser maltratado ou até mesmo morto por qualquer de seu povo.

Considerando tudo isso, não é estranho que Nakai tenha fugido em vergonha.

Por vários meses, caminhou no meio das Terras Selvagens, sem destino, até que se aproximou do Elíseo de Alemtempo, onde encontrou uma das tribos Mephita mais importantes.

Por meses ficou com essa tribo, encontrando novamente um lugar no mundo. Entendeu novas formas de batalha ao estudar com os guerreiros de tal tribo, controlando o maior símbolo de sua maldição, o cheiro nauseabundo que agora partia sempre de sua cauda. Ao aprender a controlar essa característica nefanda que o Mestre lhe impôs, Nakai sentiu-se apto a habitar o Elíseo, onde agora vive, ensinando as bases de combate aos que desejam e que não se importam com sua aparência.

E Nakai agora vive para proteger seu novo lar.

Informações Iniciais

  • Bioforma: Mephitum (Homem Gambá) - Beastmen (originalmente humano)
  • Classe: Guerreiro

Aspectos

Tipo Aspecto
Conceito: Um Guerreiro que procura por redenção e cura para sua maldição
Motivação: Devo proteger esse local que me aceitou, o Elíseo de Alémtempo
Pessoal: Amaldiçoado - Transformado na forma de um Homem-Gambá (originalmente humano)
  De dois povos, e ao mesmo tempo de nenhum deles
  Ainda tem que aceitar sua condição

Abordagens

Abordagem Nível
Ágil: Regular (+1)
Cuidadoso: Bom (+3)
Esperto: Razoável (+2)
Estiloso: Regular (+1)
Poderoso: Razoável (+2)
Sorrateiro: Medíocre (+0)

Façanhas: [Recarga: 3]

  • Grito de Batalha: Recebe +2 ao Criar Vantagens de maneira Estilosa para colocar o medo nos seus inimigos
  • Jato de Mau-Cheiro: Pode atacar de Maneira Esperta qualquer alvo a até duas zonas. No primeiro ataque em um conflito, provoca +2 de dano. Nunca está Desarmado
  • Espada: uma vez por cena, ao ser bem sucedido ao Defender-se sendo Cuidadoso, recebe um Impulso

O Monólito do Passado

Os Demiurgos.

Seu passado é um mistério. O que se sabe é que eles dominaram Umdaar, domaram a natureza e tornaram-se senhores de conhecimentos diversos.

E tão misteriosamente quando chegaram, partiram.

E no vácuo deixado pelos Demiurgos, surgiram os cruéis Mestres de Umdaar! Saqueadores, cruéis e bestiais, procuram aumentar seu poder cada vez mais, e com isso, aumentar seu cruel domínio sobre as terras de Umdaar.

Mas a resistência se estabeleceu: as Terras de Luz, uma união de povos livres que decidiram se levantar. Matriarcas e Patriarcas que agregam e unem pessoas de diversos povos, os Guardiões das Runas e os Arqueonautas, pesquisadores e pessoas que procuram resgatar as relíquias dos Demiurgos, tirando-as do alcance dos Mestres, recuperando Artefatos de poder e relíquias do conhecimento perdido.

Você é um Arqueonauta: você utiliza suas habilidades e conhecimentos e capacidade de sobrevivência para entrar nas Zonas Selvagens e procurar os templos e centros de conhecimentos perdidos dos Demiurgos.

Você pode ser um dos Monges de algum dos Elísios, os raros locais que, por tradição ou por poder, os Mestres não ousam invadir. Ou pode ser um dos povos dotados de poderes paranormais e formas estranhas às pessoas comuns, como os Usato, os homem coelhos do Vale Verde, sábios e guerreiros dotados de pernas poderosas e mentes ainda mais poderosas. Ou mesmo você pode ser um dos herdeiros de itens de poder da Era dos Demiurgos: armas ou equipamentos que só você sabe ou pode usar, heranças dos milênios passados, quando Umdaar era um planeta mais feliz.

Seja o que for, seu Destino é procurar essas formas de poder para, quem sabe um dia, derrotar os…

MESTRES DE UMDAAR!!!

Saiba Mais (9703 palavras...)

T-88 - O Juiz

O Monólito dos Demiurgos, localizado próximo ao Elísio de Alemtempo, certamente era um centro de grande importância para os Demiurgos, ao menos é o que se sabe. Os poucos que conhecem as lendas envolvendo o Monólito sabem que o Monólito aparentemente era um centro de informação e cultura dos Demiurgos, e mesmo os integrantes do Monastério de Alemtempo nunca tentaram entrar no Monólito.

Para evitar que pessoas que não pudessem ter acesso ao mesmo conseguissem entrar, o Monólito era dotado de todas as formas de defesa. Suas quatro entradas principais, localizadas nos quatro pontos cardeais, são a única forma de entrar no mesmo. E poucos que entraram conseguiram sair. Esses poucos contam histórias de terror sobre criaturas armadas com toda sorte de armas poderosas e cuja aparência estraçalharia a sanidade de um homem como um Gorila estraçalharia uma taça de cristal.

A verdade sobre o Monólito é que ele é realmente A Última fonte de conhecimento sobre os Demiurgos. Talvez sua biblioteca, talvez um arsenal, mas o que se sabe certamente é que muitos têm interesse em um dia entrarem no Monólito.

Mas para isso, deverão passar pelos desafios diversos implantados pelo Juiz.

T-88 é o Juiz do Monólito, e é ele quem decide, dentro do mesmo, que tipo de desafios os que lá entram irão passar. Sua diretiva foi programada em sua consciência, alimentada pela experiência de 1000 vidas e mortes: Apenas os mais aptos podem obter o poder.

T-88 tem sido o Juiz a vários séculos, morrendo e renascendo. Em suas mortes, o Monólito se oculta misteriosamente, voltando à aparecer quando o mesmo volta à assumir seu papel, treinado pelos próprios sistemas do Monólito. De certa maneira, o Monólito e o Juiz são um só.

Muitos que invadem o Monólito, desde os tempos imemoriais, são apenas meros saqueadores e ladrões sem escrupulos. A esses, T-88 costuma ser brutal e até mesmo cruel, mandando hordas de criaturas criadas pelos próprios sistemas dos Demiurgos para matar a esses tolos. Outros, entretanto, são mais espertos, e percebem quando não podem mais invadir o Monólito, ou quando sua missão torna-se quase suicida. A esses, o Juiz é mais benfeitor, permitindo aos mesmos que levem algum tomo ou artefato que os mesmos demonstrem interesse. Nas raras vezes em que o grupo em questaão aceita ir embora uma vez que tenham obtido o que desejavam ou precisavam, como um equipamento ou conhecimento, o Juiz se apresenta por voz, dizendo aos mesmos que eles são dignos de obterem tal conhecimento e que, caso desejem retornar ao Monólito, serão bem-vindos a tentar novamente.

T-88 é um Numano, uma raça de serviçais dos Demiurgos que, com sua partida, tornou-se selvagem e sábia entre os povos de Umdaar. T-88, entretanto, nada conhece sobre os demais Numanos: ele é criado geneticamente pelo próprio Monólito, e basicamente é uno com o mesmo. Apenas ele tem controle total sobre o Monólito (podendo dizer-se que é o Senhor do mesmo) e total conhecimento sobre o tipo de coisas que os Demiurgos deixaram para trás nos Monólitos. E além disso, ele sabe sobre os “Mestres” de Umdaar: mais de um deles já tentou tomar-lhe o Monólito, e mais de um deles não voltou, ou voltou louco e sem seus poderes.

Informações Iniciais

Bioforma: Android Numano - Beastman/Cyborg
Classe: Diplomata - Courtier

Aspectos

Tipo Aspecto
Conceito: Guardião e “Senhor” do Monólito dos Demiurgos
Motivação: Devo respeitar a diretriz de meus senhores de guardar o Monólito
Pessoal: Apenas quando cumprir minha tarefa terei paz e liberdade
  Não devo interferir nos planos fora do Monólito
  As regras sobre o Monólito são claras: quem for mais apto obtem poder

Abordagens

Abordagem Nível
Ágil: Medíocre (+0)
Cuidadoso: Bom (+3)
Esperto: Razoável (+2)
Estiloso: Razoável (+2)
Poderoso: Regular (+1)
Sorrateiro: Regular (+1)

Façanhas

  • Pele de Metal: +2 ao Defender-se de Ataques Físicos durante um Conflito, desde que seja capaz de gastar um turno apenas defendendo a si próprio previamente
  • Rifle de Plasma: +2 ao tentar Criar Vantagens sendo Cuidadoso ao impedir o mesmo de avançar
  • Interface: enquanto conectado ao sistemas do Monólito, +2 em todos os testes de Superar para evitar ser surpreendido ou de qualquer outra forma atacado