Os Cristais dos Antigos

Uma aventura de Masters of Umdaar

“Sabe-se que os Demiurgos eram mestres na manipulação da natureza, conseguindo fazer coisas incríveis, que desafiam nossos olhos e que os colocam no patamar de Deuses, ainda que não o sejam. Uma das maiores demonstrações é a grande Cidade Flutuante de Shu’ura, que ninguém jamais penetrou ainda, e que sobrevoa o céu de Umdaar como um sinal da Glória dos Demiurgos.”

“Outro sinal são os Cristais de Comunicação, ou Cristais dos Antigos, que ocasionalmente são redescobertos. Embora sua fácil comunicação por meio desse sistema, os poucos cristais e tomos sobre o mesmo são disputados, o que torna inviável a comunicação usando os mesmos. Espero, em nome dos Destinos, que um dia encontremos e aprendemos o bastante para que isso se torne uma força contra os Mestres de Umdaar.”

Registro do diário pessoal de Nicodemos, sábio Guardião de Runas dos Povos Livres

Saiba Mais (13766 palavras...)

Um Exemplo do Fractal do Fate: Corrupção e Idolatria Bíblicas

Publicado originalmente na RedeRPG

Uma das coisas mais poderosas e pouco compreendidas em Fate é o Fractal do Fate, ou também chamada de Regra de Bronze. Uma ferramenta importantíssima para criar-se novas regras em Fate, ela parte da premissa de tratar-se situações específicas como se fosse ações entre personagens. Mais exatamente, tratar-se elementos do teu cenário como personagens.

Ao fazer-se isso, você ganha toda uma forma de tratar novos elementos sem precisar de novos sistemas, problema clássico de sistemas mais antigos, onde para fazer-se X aprende-se toda uma série de novas coisas, que não servem para fazer-se Y.

O problema, porém, é acostumar-se a definir até onde ir no Fractal: se tudo que você for fractalizar você acabar criando fichas de personagens, você terá um problema sério de super-preparação, usando uma metralhadora para matar uma formiga.

Vamos aqui dar uma idéia de vários níveis de preparação que podem ser adequados para um mesmo tipo de regra, conforme necessidades de cada situação. Perceba que falaremos da mesma coisa, e que portanto os comportamentos são similares.

No caso, utilizando um debate recente que tivemos no grupo de WhatsApp do Fate Básico, vamos falar sobre um tema que pode ser comum: a idéia da Corrupção e Idolatria em um cenário bíblico.

Aqui, antes de começar, cabe um disclaimer: eu não sou um especialista em bíblia ou exegese ou qualquer coisa assim. Apenas decidi que seria um tema interessante, baseado em um debate recente, e que poderia oferecer vários exemplos legais, retirados de vários cenários da bíblia. Além disso, aqui não será feito juízo de valor sobre a validade ou não de qualquer coisa na Bíblia.

Vamos propor alguns cenários e tentar demonstrar como solucionar coisas de maneira bem simples.

Saiba Mais (3676 palavras...)

Fate OSR - Deixando Fate com uma cara mais Old-School

Publicado originalmente na RedeRPG

OK…

Vamos aos fatos.

Existe uma certa birra (bem infundada, na minha opinião) entre o pessoal do Old School e o pessoal que joga sistemas indie. Boas partes das críticas levam em consideração coisas como Interpretação vs Mecânicas, Rolamentos vs Definições, Heroísmo vs Aventura.

E meu objetivo aqui não é solucionar esse debate, pois ele é o Fla/Flu, Corinthians e Palmeiras, vi e emacs do mundo do RPG: não existe uma resposta certa, pois cada lado pegou os elementos que mais gosta e acabou os lavrando em pedra como “O modo certo de se fazer as coisas”.

Meu objetivo aqui é propor um método para deixarmos o Fate com uma cara mais old-school, incluindo dicas sobre como aumentar a letalidade de combates e algumas dicas sobre como usar o Fate Fractal para gerar sistemas de magia e monstros complexos, que permitam um combate dramático e ao mesmo tempo taticamente interessante.

Não estou com isso dizendo que sistemas Old School são ruins, muito pelo contrário: um dos melhores RPGs no Brasil, tanto na simplicidade do sistema e na diversão, é o Old Dragon, da RedBox, e suas variantes, o Space Dragon e o Gamma Dragon.

Meu objetivo aqui é propor uma maneira de ver as coisas em um meio termo, ver o que ambos os modelos (narrativista e OSR) possuem em comum, e como chegar a um ponto onde o Fate pode receber boas idéias do mundo Old School e vice versa, de modo a melhorar o jogo para os jogadores de ambos os lados, ainda que no artigo o foco seja em formas de implementar idéias e feeling do Old School no Fate.

Esse artigo não procura esgotar esse assunto, apenas propor reflexões, mecanismos e sugestões sobre como utilizar o Fate para buscar algo mais similar à sensação de jogar-se como nas edições mais clássicas do RPG Mais Vendido de Todos os Tempos. Cada Narrador poderá (na verdade, deveria) partir dessas sugestões e criar seus conjuntos de soluções, com suas formas de resolver cada coisa, no momento certo, conforme suas campanhas e jogadores.

Bem, sem mais delongas, vamos matar esse Tarrasque e destrinchar suas tripas… Com o devido uso de Pontos de Destino! :-)

Saiba Mais (6155 palavras...)